segunda-feira, 30 de março de 2009

Gravetos que Brilham

Recentemente, quando subimos um monte aqui em Monte Mor para orar, tivemos uma grata surpresa. O chão brilhou.
Quando chegamos ao alto do monte, em meio à uma pequena floresta, decidimos que não pediríamos nada naquela noite, apenas louvaríamos.
Amparados por um violão, iniciamos aquela vigília com alguns louvores de adoração e louvamos e adoramos ao nosso bom Deus por mais de uma hora. Depois começamos a expressar nossa fé com orações individuais e, por mais que não quisséssemos, acabamos pedindo algo. Queríamos mais do Senhor, porque aquele lugar nos inspirava a sentir mais de sua presença. Foi quando, sem que esperássemos, nossas almas se alegraram com uma presença em nosso meio. No meio da escuridão, sem enxergarmos um palmo à frente do nariz, no meio daquele matagal, começamos a ouvir ruídos. Foi tremendo, pois os ruídos eram nossos. Choro, gemido, línguas e risos tomaram conta do local. Alguns estavam sendo batizados com o Espírito Santo, outros restaurados em suas almas, outros confessavam seus pecados e outros simplesmente curtiam a presença sobrenatural de Deus.
Passadas umas três horas, quandos todos estavam cheios daquela presença, luzes começaram a brilhar debaixo de nosso pés, como se pequenas lâmpadas tivessem acendido pelo chão.
Não me contive e ajoelhei para ver de perto. Mais curioso ainda, tentei pegá-las. Que coisa linda. Eram folhas secas e gravetos que, pelo chão, acendiam feito luzes de neon. Enchi minhas maos com elas e passei a adorar ao Senhor, porque ele estava ali de forma visível.
Depois guardei algumas e trouxe para casa para mostrar para meu filho e minha esposa. Quando cheguei elas ainda brilhavam e todos puderam adimirar. Que bênção!!!
O dia amanheceu e tudo aquilo que brilhava na noite anterior pode finalmente ser visto como realmente era: lixo.
Acho que foi isso que Jesus Cristo fez por nós. Nos fez resplandecer das trevas para a luz. Obrigado Senhor...
Mas, e agora, como voltar lá sem esperar pelas luzinhas novamente? Será que nossa motivação vai mudar e deixaremos de adorar para esperar por elas?
Lembro de tantos que perderam o foco da adoração e não buscam mais a presença do Senhor, mas sim os gravetinhos brilhantes.
Talvez não queira mais ir lá. Quero ver brilhar minha vida neste mundo mal e cruel que precisa do nosso testemunho. Não quero me esconder naquela mata, mas sim mostrar minha fé a todos que, de alguma maneira, anseiam pela "luz no fim do túnel". Eu cheguei nesta luz e ela se chama Jesus Cristo.
Sei que aquele chão brilhou, não porque o Espírito Santo more lá, mas porque nós estávamos lá e o Senhor veio se encontrar conosco. Quero me encontar com ele em casa, na igreja, na rua, em todo lugar. Quero ver brilhar a glória do Senhor em casa, nos meus relacionamentos, nas minhas finanças, no meu testemunho, na minha igreja, enfim...
Mas subirei o monte esta semana novamente, pois quero adorar em espírito e em verdade. Quero a presença dEle mais e mais e, confesso, aquele lugar é inspirador.
Se brilhar, brilhou. Se não brilhar, continuarei adorando sempre.
Obrigado Senhor!!!

Pastor Carlos Otávio Scheidt

7 comentários:

  1. é muito fácil adorar quando Deus se manifesta da maneira que queremos...Mais devemos oferecer sacrificios de louvor mesmo quando não entendemos oq Deus está fazendo. Eu tbm quero ver o chão brilhar...eu tbm quero mais de Deus...eu tbm quero me derramar na presença dele...Mais se não brilhar....quero estar lá da mesma forma....mais por favor Pastor, ora que eu quero ver isso de frente...rs..abraços!

    ResponderExcluir
  2. Pr. Otávio!!!!
    Que bom receber seu comentário!!!!
    Obrigada!
    E que vcs possam cada dia mais, serem bençãos
    nas tantas vidas q o SENHOR lhes deu, dá e dará... Como a minha.
    Abraço carinhoso pro cs!!

    ResponderExcluir
  3. Esta experiência dita acima também aconteceu comigo. Morei em Maringá-Pr e no ano de 1977 ou 1978, não me lembro bem, fui com meus pais juntamente com diversos irmãos e pastores da Igreja Presbiteriana Renovada orar numa mata existente na cidade (Horto Florestal). Era noite plena, as orações começaram e num determinado momento tudo blilhou, chão, troncos, galhos e arvores. Eu olhava maravilhado para tudo isto, pois em se tratando de uma criança que era naquela época (tinha em torno de 07/08 anos) aquilo soou como algo sobrenatural. Hoje entendo que foi o poder do Espírito Santo que se manifestou naquela hora e naquele lugar. Eram mãos de criança que pegavam aquelas folhas e gravetos, imaginando fosse queimar, mas não queimavam. E onde os olhos miravam, tudo reluzia, troncos frondosos, galhos enormes. Lembro que por conta daquela luminosidade, conseguia enxergar as pessoas e meus pais, mesmo estando em mata fechada sem o auxilio de qualquer lanterna que fosse. Tanto tempo se passou mas este acontecimento marcou profundamente o meu lado espiritual. Deus existe e está ai para quem dEle precisar, basta buscá-lo com fervor e fé.

    ResponderExcluir
  4. Eu tambem ja vi , é imprecionante , mais imprecionante ainda é falar para as pessoas e elas não acreditarem .. =/ mais isso é pura verdade

    ResponderExcluir
  5. Eu vi Quando Tinha apenas 10 anos, minha mãe costumava nos levar ao monte para orar ao senhor, naquele dia eu estava com sono e era apenas uma criança, minha mãe me chamou e disse filha veja: e quando olhei no chão vi que todo lugar estava queimando com um fogo dferente ele era verde e lindo abri a boca em prantos e comecei a adorar quanto mais eu adorava mais ele brilhava aranhas corriam pelo chão pegando fogo, uma arvore se acendeu inteira, foi inacreditável. tenho 24 anos hoje e jamais me esquecerei daquele dia, nunca mais voltei a um monte com medo de pensar apenas nos gravetos, pessoas têm esse desejo de ver mas acho q não é pra todos. é para os que precisam de base concreta que realmente Ele vive. obrigado jesus por testemunhar.

    ResponderExcluir
  6. Sou membro da Renovação Carismática Católica e vi este maravilhoso sinal de Deus no monte, neste ano de 2012

    ResponderExcluir
  7. Irmãos, buscar a presença de Deus é muito importante e frutífero. Continuem fazendo isto. Mas a questão dos gravetos incandescentes nada mais são que processos naturais de decomposição da madeira onde os fungos decompõem o material e brilham na escuridão. Se trouxermos os gravetos para casa e os colocarmos em um quarto escuro, e eles ficarem lá por um bom tempo, brilharão sempre que houver umidade, até a pupila do olho se acostumar. O QUE NÃO DEIXA DE SER UMA MARAVILHA DO NOSSO CRIADOR.

    ResponderExcluir